Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 25 de maio de 2018

"Em pleno reinado de Colombina"

.
No banho de mar à fantasia se usavam os trajes carnavalescos sobre as roupas de banho. 23 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 22 de maio de 2018

"Em pleno reinado de Colombina"

.
Um bloco de “havaianas”. O banho de mar à fantasia sugeria semi-nudez. 23 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 18 de maio de 2018

"A Igrejinha"

.
“A igreja Nossa Senhora de Copacabana, ou Igrejinha, que se erguia nos rochedos onde existe hoje o Forte da Epopéia”. Segundo a legenda do jornal, a gravura dataria do final do Império, alguns anos antes da abertura do primeiro túnel. A expressão “Epopéia” fazia alusão ao episódio dos “18 do Forte”, de 5 de Julho de 1922, símbolo do tenentismo, referência obrigatória a partir da Revolução de 30. 16 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 15 de maio de 2018

"Dez sereias"

.
A foto aparece na capa do jornal, sem vínculo com nenhuma matéria, com a lacônica legenda: “Dez sereias à procura de tubarões”. Não há garantia de que seja Copacabana ou qualquer outra praia carioca, nem sequer de que as moças sejam brasileiras. De todo modo, em praias do mundo ocidental, sobre as areias, as pernas femininas andavam de fora. 16 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 11 de maio de 2018

"Seth"

.
Copacabana dos arranha-céus na arte de Seth, ou Álvaro Marins. Sobre ele: LIMA, Herman. História da Caricatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1963, p. 1793. Imagem: 9 de janeiro de 1937, suplemento, p. 8. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 8 de maio de 2018

"Copacabana Club"

.
“O tri-campeão carioca infantil, Wilson do Nascimento, quando vencia os 50 metros (...)” em torneio realizado no “stadium” da Fortaleza de São João. 2 de janeiro de 1937, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 4 de maio de 2018

"Suplemento"

.
Beira-Mar dava boas vindas ao verão com a distribuição gratuita de vinte mil exemplares, em formato pequeno. 9 de janeiro de 1937, suplemento, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 1 de maio de 2018

"O Dia do Banhista"

.
Massagem durante simulação de procedimento de salvamento. 2 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 27 de abril de 2018

"O Dia do Banhista"

.
Simulação de salvamento. 2 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 24 de abril de 2018

"O Dia do Banhista"

.
Multidão acompanhando as provas de salvamento do alto da ponte de embarque do Clube dos Marimbás, no Posto VI. 2 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 20 de abril de 2018

"O Dia do Banhista"

.
No 28 de dezembro se comemorava o dia dos guarda-vidas do Serviço de Salvamento. No Clube dos Marimbás, junto ao pessoal dos postos, estavam presentes o prefeito Olimpio de Mello, o deputado Amaral Peixoto, o capitão João Alberto, o vereador Alceu de Carvalho e o dr. Ismael Gusmão, chefe do Posto de Assistência de Copacabana. 2 de janeiro de 1937, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 17 de abril de 2018

"Copacabana Club"

.
“O campeão sul-americano, Xavier, inscrito nas próximas provas do Copacabana Club” vence uma corrida de 100 metros rasos. 12 de dezembro de 1936, p. 8. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 13 de abril de 2018

"Ciclista"

.
O “maillot” de banho, curto e colante, inteiramente legitimado sobre as areias e entre as ondas, aos poucos se insinuava pelas vizinhanças da orla. 5 de dezembro de 1936, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 10 de abril de 2018

"Batismo de sol e champanhe"

.
A “baratinha” do piloto Antonio da Silva Campos, concorrente no Circuito da Gávea, batizada de Copacabana pela madrinha Zilda Eloy. 5 de dezembro de 1936, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 6 de abril de 2018

"Babey e Ofélia"

.
Nadadoras do Tijuca Tennis Club. 28 de novembro de 1936, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 3 de abril de 2018

"Na Igrejinha"

.
“Uma sereia do Posto VI”. Com a construção do Forte de Copacabana, desapareceu a Igrejinha, mas o lugar continuou por muito tempo associado a esse nome. 7 de novembro de 1936, suplemento, p. 6. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 30 de março de 2018

"Antes do banho de mar..."

.
“... o descanso na areia”. 7 de novembro de 1936, suplemento, p. 6. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de março de 2018

"Socorro Balneário"

.
Sede da Sociedade de Socorros Balneários, fundada em 1902 por iniciativa de moradores de Copacabana e presidida pelo dr. Cunha Cruz. Cinco anos depois estava abandonada. 7 de novembro de 1936, suplemento, p. 6. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de março de 2018

"Há vinte anos"

.
“Grupo elegante do Leme, na época em que eram assim as roupas de banho”. O encurtamento da indumentária praiana foi rápido. Os banhistas da foto foram contemporâneos da discussão em torno do direito à exposição dos joelhos... 7 de novembro de 1936, suplemento, p. 5. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de março de 2018

"Na praia"

.
Sorvete? 7 de novembro de 1936, suplemento, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de março de 2018

"Beira-Mar Suplemento"

.
Às vésperas da edição especial de aniversário, os editores de Beira-Mar distribuíam gratuitamente um suplemento em formato reduzido, tendo em vista um público de milhares de novos moradores de Copacabana, Ipanema, Leme e Leblon. Leia mais no Capítulo 59. 7 de novembro de 1936, suplemento. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de março de 2018

"Casa Boa Vista"

.
Rua Siqueira Campos, 91. Proprietários de bicicletas e motocicletas encontravam serviços de manutenção disponíveis dos bairros da CIL. 7 de novembro de 1936, p. 111. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de março de 2018

"Casa Estrella"

.
Anúncio de Américo Tavares Estrella & C., oficina para “bicicletas, velocípedes, carrinhos de criança e acessórios”, à rua Teixeira de Mello, 71, Ipanema. 7 de novembro de 1936, p. 109. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de março de 2018

"Nossos amiguinhos"

.
Pais encomendavam fotos dos filhos a fotógrafos profissionais de sucesso, como era o caso de Rafael, “o gigante do claro-escuro”. 7 de novembro de 1936, p. 108. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de março de 2018

"Garota formidável"

.
“A robusta Margarida, filhinha do casal Celeste - José da Cunha Barros”. Leitores de Beira-Mar enviavam fotos de seus bebês para publicação no jornal, num tempo em que se acreditava em eugenia. 7 de novembro de 1936, p. 107. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

"Garage Barcellos"

.
Crescia a frota de automóveis no bairro “aristocrático”. 7 de novembro de 1936, p. 106. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

"Bar e Restaurante Embassy"

.
Situado no último andar do Edifício Ceará. Mesas ao ar livre compunham um estilo de vida praiano. 7 de novembro de 1936, p. 105. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

"Edifício Dourado"

.
Rua Visconde de Pirajá, 571. 7 de novembro de 1936, p. 103. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

"Santa Catarina"

.
Banhistas na praia de Cabeçudas. 7 de novembro de 1936, p. 102. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

"Santa Catarina"

.
Praia de Cabeçudas, perto de Itajaí. 7 de novembro de 1936, p. 102. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

"Praias de Santos"

.
Praia do Gonzaga, com seus jardins. 7 de novembro de 1936, p. 101. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

"Praias de Santos"

.
Marco comemorativo do 4º Centenário da Colonização do Brasil. 7 de novembro de 1936, p. 101. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

"Copacabana de outrora"

.
Em foto de 1910, Copacabana sem arranha-céus. 7 de novembro de 1936, p. 94. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

"Ponta de Pedras"

.
Praia de Goiana, Pernambuco. 7 de novembro de 1936, p. 75. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

"O mar em fúria"

.
As ressacas, como essa na praia do Flamengo, constituíam uma ameaça constante às vias litorâneas cariocas, destruíam amuradas e geravam despesas para a municipalidade. Mas atraíam espectadores, apreciadores dos horrores naturais. Leia mais no Capítulo 28. 7 de novembro de 1936, p. 74. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

"Gente tijucana"

.
“Ao centro, Lygia Cordovil, entre nadadores do Tijuca Tennis Club. Beira-Mar não era apenas um jornal de Copacabana, era também um jornal da elite carioca. 7 de novembro de 1936, p. 73. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

"Filial Chevrolet de Copacabana"

.
Prédio em construção à rua Salvador Correa (futura Princesa Isabel). O bairro “aristocrático” tinha clientela bastante para que uma marca de automóveis abrisse ali uma loja de vendas e prestação de serviços. 7 de novembro de 1936, p. 62. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

"Uma visão encantadora..."

.
“... do Estado de Alagoas que a arte magistral de Ismael Accioly denominou: Tardinha no Pontal da Barra”. Mais do que um jornal de Copacabana, Beira-Mar se apresentava já como um jornal das praias. 7 de novembro de 1936, p. 62. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

"Em todas as praias"

.
“Se estas garotas americanas conhecessem as praias cariocas!... Como ficariam mais bonitas ainda! Forçosamente adeririam ao ‘Vencedor’ que, indubitavelmente, na graça da forma e na perfeição da malharia bateu qualquer maillot do mundo. E como não ser assim? Se temos as mais belas praias do Universo, é natural que a indústria da nossa terra, para servir ao banho, tenha atingido o mais alto grau de perfeição e um alto serviço de beleza”. As praias de banho, tendo Copacabana à frente, tornavam-se um quesito no qual o Rio de Janeiro se sentia confiante para competir internacionalmente. 7 de novembro de 1936, p. 59. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

"Um dos novos..."

.
“... e confortáveis ônibus, marca ‘Volvo’, de que se compõe a frota da ‘Viação Carioca’, de propriedade do Sr. Mario Bianchi”. 7 de novembro de 1936, p. 54. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

"Franco-Brasileiro"

.
Um dos muitos colégios particulares cilenses que freqüentavam as páginas de Beira-Mar. 7 de novembro de 1936, p. 50. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

"A Cinta Moderna"

.
A publicidade, a serviço da indústria da moda, ajudou a difundir o modelo de corpo desejado por todos. 7 de novembro de 1936, p. 49. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

"Maillots"

.
O “maillot” se tornou objeto do desejo. E, junto com ele, o corpo – belo, jovem, saudável, desejável, feliz – tal como sugerido na publicidade. 7 de novembro de 1936, p. 47. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

"O maillot"

.
“O maillot tem hoje em dia a autoridade irrefutável de uma prenda clássica” – afirmavam os editores de Beira-Mar. Quase uma instituição. 7 de novembro de 1936, p. 44. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

"As praças ajardinadas à beira-mar"

.
Praça Cardeal Arcoverde, em Copacabana, antiga praça Sacopenapã. Sobre praças da Cil: BERGER, Paulo. Dicionário histórico das ruas do Rio de Janeiro – V e VI Regiões Administrativas. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1994. Foto: 7 de novembro de 1936, p. 43. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

"As praças ajardinadas à beira-mar"

.
Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, antiga praça Coronel Valadares. 7 de novembro de 1936, p. 43. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

"As praças ajardinadas à beira-mar"

.
Praça General Osório, em Ipanema, antiga praça Ferreira Vianna. 7 de novembro de 1936, p. 43. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

"Campeãs do Tijuca T. C."

.
“Senhorinhas Neusa e Lygia e, formando a trindade, Lygia, Airéia e Dulce, tão queridas no Tijuca Tennis Club”. Nadadoras tinham prestígio no jornal da praia. 7 de novembro de 1936, p. 42. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

"Preparando a geração de hoje"

.
“Grupo tirado por ocasião da inauguração do Club Gymnastico e Athletico José Floriano Peixoto, o primeiro que surgiu em Copacabana”. A foto deve ser de 1907, data do aparecimento do clube. Sobre Zeca Peixoto: MELO, Victor Andrade de. Dicionário do Esporte no Brasil – Do século XIX ao início do século XX. Campinas: Autores Associados, 2007. Publicação da foto: 7 de novembro de 1936, p. 41. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

"Vista aérea do Arpoador"

.
A ponta do Arpoador, “que os poetas cantavam com ênfase parnasiana, comparando-a ao bico de um condor que descansasse de um vôo de milhares de anos”, nas palavras de Théo-Filho, no romance Praia de Ipanema. 7 de novembro de 1936, p. 31. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).