Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 28 de maio de 2010

06. Traficantes e contrabandistas

No capítulo 5, “Introdução a Paris”, Theotonio escapou do casamento, tornando-se correspondente do Correio na capital européia. Perdeu dinheiro no jogo, lançou A tragédia dos contrastes (1911) e conheceu Claire Suzanne, em Aix-les-bains.

terça-feira, 25 de maio de 2010

05. Introdução a Paris

O capítulo 4, “Psicopatias sexuais”, apresentou o pessoal do Correio da Manhã e a namorada, Maria Luiza, inspiradora de Dona Dolorosa (1910), livro que franqueou a entrada de Theotonio Filho no gênero literatura de escândalo.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

04. Psicopatias sexuais

No capítulo 3, “Pelo Correio”, Theotonio abandonou a Faculdade de Direito do Recife, partiu para o Rio de Janeiro e ingressou na redação do Correio da Manhã. Também conheceu os banhos de mar em Copacabana, na enseada da Igrejinha.

terça-feira, 18 de maio de 2010

03. Pelo Correio

No capítulo 2, “O golpe dos rudes”, Theotonio Filho conseguiu, com alguma ajuda das prostitutas, publicar seu livro de estréia, Os rudes (1908).

sexta-feira, 14 de maio de 2010

02. O golpe dos rudes

No primeiro capítulo, “Literatura em casa”, nasceu Manoel Theotonio de Lacerda Freire Filho, em meio a uma biblioteca de oito mil volumes.

terça-feira, 11 de maio de 2010

01. Literatura em casa

A Introdução apresentou o plano da obra, Théo-Filho e o tema da praia. A cada postagem, uma referência ao capitulo anterior.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

INTRODUÇÃO

O trabalho tem três partes: I. A Longa Juventude (1891-1925); Os Anos Beira-Mar (1922-1944); e Depois da Guerra (1944-1973).

domingo, 2 de maio de 2010

SUMÁRIO

Começa aqui Théo-Filho, o Intelectual da Praia - História balneária de Copacabana (1925-1940).