Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

“A noite joanina no Atlântico Club”

.
As festas juninas nos bairros da “Cil” ganharam impulso com a organização dos clubes praianos. 30 de junho de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

“Atlântico Club”

.
“Os Teams de Volley Ball e Peteca do Atlântico Club, vendo-se ao centro a menina Verinha, madrinha do Club”. 19 de maio de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

“Miss Leme”

.
“Senhorinha Maria de Lourdes Austregésilo”. 5 de maio de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

“Miss Leblon”

.
“Senhorinha Luiza Marinho de Azevedo”. 5 de maio de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

“Miss Brasil”

.
“Senhorinha Olga Bergamini Sá”. 21 de abril de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

“Bela entre as mais belas”

.
Didi Caillet, Miss Paraná 1929, declamadora, “diseuse”, conhecida como “Miss Inteligência”, passava o fim do verão no Rio de Janeiro. Leia mais no Capítulo 50 (clique no título). 31 de março de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

“Cinema brasileiro”

.
Entre os retratos das beldades praianas, misturavam-se fotos de atrizes do cinema, como esta, de Nita Ney. 24 de março de 1929, p. 8. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

“Cheia de graça”

.
“Duas lindas poses da senhorinha Consuelo Galvão”. Belas copacabanenses apareciam nas páginas do jornal praiano com fotos produzidas em estúdio. 3 de março de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

“Praia do Leme”

.
Com os banhos de sol, cresceu a procura pelos divertimentos sobre as areias, em horários antigamente evitados. 24 de fevereiro de 1929, capa.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

“Praia do Leme”

.
Posar para a foto do jornal praiano se tornava um programa divertido. 24 de fevereiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

“Praia do Leme”

.
Um dos “alegres grupos de banhistas em pose especial para o Beira-Mar”. 24 de fevereiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 22 de novembro de 2011

“Os arranha-céus de Copacabana”

.
O jornal Beira-Mar, representante dos interesses do comércio de Copacabana, dava boas vindas aos prédios de apartamentos. Théo-Filho defendia a nova arquitetura como “o gênero de habitação social-familiar mais compatível com os balneários elegantes”. Leia mais no Capítulo 37 (clique no título). 20 de janeiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

“Os arranha-céus de Copacabana”

.
A altura dos primeiros prédios de apartamentos da cidade – “rasga-céus” – ia de quatro a doze andares. 20 de janeiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 15 de novembro de 2011

“Os arranha-céus de Copacabana”

.
Nessa década começaram a se erguer os primeiros “arranha-céus” em concreto armado no Rio de Janeiro. Em 1928, apareceram em Copacabana, nas vizinhanças do Lido. 20 de janeiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

“A Festa da Ventarola”

.
Sobre as areias, convivas da festa do Praia Club. 13 de janeiro de 1929, p. 8. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 8 de novembro de 2011

“A Festa da Ventarola”

.
Realizada “em benefício dos cofres da sociedade de Assistência aos Lázaros e Defesa contra a Lepra”, a festa do Praia Club animava a avenida Atlântica na altura do Posto IV. 13 de janeiro de 1929, p. 8. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

“Noite de Reis no Atlântico Club”

.
A data dos Reis Magos, 6 de Janeiro, integrava o calendário de festas dos clubes praianos. 13 de janeiro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 1 de novembro de 2011

“Festa da Sombrinha”

.
Segunda edição do evento criado pelo Praia Club. 2 de dezembro de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

“Arpoador Club”

.
A exemplo de seus congêneres, o clube do Arpoador oferecia movimentada programação dançante. 4 de novembro de 1928, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 25 de outubro de 2011

“Entre duas danças”

.
“Alcançou brilhante êxito o baile de aniversário de fundação do Praia Club”. 30 de setembro de 1928, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

“Atlântico Club”

.
“Senhorinha Zaira Cavalcanti, madrinha dos novos atletas do Atlantico Club entre seus afilhados”. 2 de setembro de 1928, p. 5. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 18 de outubro de 2011

“Um acontecimento de máxima significação social”

.
Ponto de encontro da aristocracia cilense, a nova sede do Praia Club em noite de baile. 22 de julho de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

“Um acontecimento de máxima significação social”

.
Nova sede do Praia Club na Avenida Atlântica nº 790. Os clubes praianos expressavam o estilo de vida da classe social que Théo-Filho e seus contemporâneos chamavam de “aristocracia”. 22 de julho de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 11 de outubro de 2011

“O invencível 1º team do Posto III”

.
Depois de uma vitória de 4x0 sobre o Posto VII. Noções de esporte, educação física, higiene, saúde, vida ao ar livre, elegância orientavam o aparecimento de novos divertimentos, como o futebol amador jogado nas praias. 8 de julho de 1928, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

“Foot-ball na areia”

.
Um registro da “assistência” do futebol na areia, “no jogo de domingo último entre o Atlântico e o Praia Club”. 17 de junho de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 4 de outubro de 2011

“Praia Club”

.
Em 1928, a “Liga de Amadores de Foot-ball na Areia” promoveu seu segundo torneio anual. 17 de junho de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

“Atlântico Club”

.
Também conhecido como o “club azulino”. 17 de junho de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de setembro de 2011

“Atlântico Club”

.
“Senhorinha Guiomar Cruz, rainha do Posto 6, após ter feito brilhantemente, com seus companheiros atletas do ‘Atlântico Club’, a travessia do Leme a Igrejinha”. 6 de maio de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

“Atlântico Club”

.
“O team que venceu galhardamente o torneio interno de volley-ball do Atlântico Club”. Nesse período, ainda não havia na cidade um campeonato de vôlei inter-clubes, mas nos jogos amistosos o time do Atlântico aparecia como um dos melhores do Rio de Janeiro, nas areias como nas quadras. 6 de maio de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de setembro de 2011

“Sportmen”

.
“O glorioso 1º team do Posto 4”. A organização dos times filiados à “Liga de Amadores de Foot-ball na Areia” (LAFA) acompanhava o movimento de criação de clubes praianos na “CIL” (Copacabana, Ipanema e Leme). 22 de abril de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

“Sportmen”

.
“O galhardo 1º team do Posto 3”. No início, os times de futebol na areia jogavam com 11 titulares. 22 de abril de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de setembro de 2011

“A festa sportiva do Atlântico Club”

.
Uma prova de corrida nas areias do Posto VI. 8 de abril de 1928, p. 4. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Laura Suarez (Posto VII). 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de setembro de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Guiomar Cruz (Posto VI). 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Elza Correa da Costa (Posto V). 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 30 de agosto de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Yolanda de Andrade Leite (Posto IV). 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Sylvia Canabarro de Carvalho (Posto II). 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 23 de agosto de 2011

“Rainhas coroadas de rosas”

.
Senhorinha Ariela Gomes da Silva (Posto I). Depois de cinco meses de votação, encerrou-se o segundo concurso de beleza promovido por Beira-Mar, com a eleição das “rainhas” dos Postos de Salvamento. 8 de abril de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

“Na praia”

.
“A família do farmacêutico Guilhermino A. Moreira, posando para a nossa objetiva”. 18 de fevereiro de 1928, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 16 de agosto de 2011

“A inauguração da sede do Praia Club”

.
Sócios do clube praiano do Posto IV. 5 de fevereiro de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

“A inauguração da sede do Praia Club”

.
Théo-Filho: “As diversões que, aos olhos de todos, a diretoria dessa associação praiana organiza de vez em quando, como a festa do sorvete, a festa das sombrinhas e a festa dos simples, constituem, hoje em dia, um pedaço do coração ardente da Cil”. 5 de fevereiro de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 9 de agosto de 2011

“As banhistas enigmáticas”

.
O enigma hoje é imaginar o que passou pela cabeça do editor ao escolher esse título... 8 de janeiro de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

“Atlântico Club”

.
A programação esportiva do clube praiano atraía público às areias de Copacabana. 4 de dezembro de 1927, p. 2. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 2 de agosto de 2011

“Atlântico Club”

.
“Banhistas assistindo às provas aquáticas”. 4 de dezembro de 1927, p. 2. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 29 de julho de 2011

“A Festa da Sombrinha”

.
Théo-Filho: “Nas barraquinhas, espalhadas pela cintilante praia, estua de contentamento o seio das Deusas transbordantes de mocidade, de prazer, de vida”. 20 de novembro de 1927, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 26 de julho de 2011

“A Festa da Sombrinha”

.
Nos primeiros anos da introdução dos banhos de sol, o novo gosto pelo bronzeamento da pele conviveu com o uso da sombrinha, equipamento consagrado no tempo, então recente, da valorização da alvura da pele. 20 de novembro de 1927, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 22 de julho de 2011

“A Festa da Sombrinha”

.
A festa criada pelo Praia Club girava em torno de um concurso de sombrinhas. 20 de novembro de 1927, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 19 de julho de 2011

“Vista geral do Posto 6”

.
Anunciando “a entrada da estação balneária”, o Atlântico Club movimentava o Posto VI. “De toda a parte acorriam bandos de moças e rapazes elegantemente trajados ou em roupas de banho, dando à praia um movimento e uma vivacidade dignos de nota”, narrava Théo-Filho. 20 de novembro de 1927, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 15 de julho de 2011

“O verão no Posto 6”

.
No início da estação, sócios do Atlântico Club, sob a proteção de barracas e guarda-sóis. 20 de novembro de 1927, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 12 de julho de 2011

“A seleta platéia...”

.
“... que assistiu à última Hora de Arte do Atlântico Club”. Os clubes praianos introduziram em Copacabana a moda das “Horas de Arte”, quase sempre um recital de poesia ou música, entre um baile e outro. 6 de novembro de 1927, p. 14. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).