Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

“Arpoador Club”

.
A exemplo de seus congêneres, o clube do Arpoador oferecia movimentada programação dançante. 4 de novembro de 1928, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 25 de outubro de 2011

“Entre duas danças”

.
“Alcançou brilhante êxito o baile de aniversário de fundação do Praia Club”. 30 de setembro de 1928, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

“Atlântico Club”

.
“Senhorinha Zaira Cavalcanti, madrinha dos novos atletas do Atlantico Club entre seus afilhados”. 2 de setembro de 1928, p. 5. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 18 de outubro de 2011

“Um acontecimento de máxima significação social”

.
Ponto de encontro da aristocracia cilense, a nova sede do Praia Club em noite de baile. 22 de julho de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

“Um acontecimento de máxima significação social”

.
Nova sede do Praia Club na Avenida Atlântica nº 790. Os clubes praianos expressavam o estilo de vida da classe social que Théo-Filho e seus contemporâneos chamavam de “aristocracia”. 22 de julho de 1928, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 11 de outubro de 2011

“O invencível 1º team do Posto III”

.
Depois de uma vitória de 4x0 sobre o Posto VII. Noções de esporte, educação física, higiene, saúde, vida ao ar livre, elegância orientavam o aparecimento de novos divertimentos, como o futebol amador jogado nas praias. 8 de julho de 1928, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

“Foot-ball na areia”

.
Um registro da “assistência” do futebol na areia, “no jogo de domingo último entre o Atlântico e o Praia Club”. 17 de junho de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 4 de outubro de 2011

“Praia Club”

.
Em 1928, a “Liga de Amadores de Foot-ball na Areia” promoveu seu segundo torneio anual. 17 de junho de 1928, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).