Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 27 de abril de 2012

“1930”

.
Essa foi aproximadamente a paisagem com que se depararam Théo-Filho e seus amigos durante seu “Passeio às Ilhas Caiçaras” (também conhecidas por Ilhas Cagarras), no final do verão anterior. 5 de janeiro de 1930, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 24 de abril de 2012

“1930”

.
Do mar já se avistavam os primeiros “arranha-céus” de Copacabana. 5 de janeiro de 1930, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 20 de abril de 2012

“Trecho da Lagoa Rodrigo de Freitas”

.
Visto a partir do morro do Cantagalo, quando ainda não existia o Corte ligando Copacabana à Lagoa. 15 de dezembro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 17 de abril de 2012

“Copacabana”

.
Vista a partir do morro do Cantagalo. 15 de dezembro de 1929, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 13 de abril de 2012

“Festa da Sombrinha”

.
Concorrentes apresentando seus modelos originais. 8 de dezembro de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 10 de abril de 2012

“Festa da Sombrinha”

.
O concurso de sombrinhas do club do Posto IV anunciava o começo da estação praiana. 8 de dezembro de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 6 de abril de 2012

“Festa da Sombrinha”

.
3ª edição da festa criada pelo Praia Club. 8 de dezembro de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 3 de abril de 2012

“Os diabinhos vermelhos”

.
“No alto: senhoritas que tomaram parte na 3ª hora de arte organizada pela ‘Phalange Feminina’ do Atlântico Club. Em baixo: uma companhia da falange elegantíssima”. A partir de Catulo da Paixão Cearense, no começo do século XX, o violão começou a dividir com o piano as preferências instrumentais das “gentis senhorinhas”. 1º de dezembro de 1929, p. 3. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).