Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 30 de maio de 2014

"Uma rainha do Beira-Mar"

.
"Senhorinha Lea Smith Vasconcellos", vencedora do concurso de rainha das praias cariocas, promovido pelo jornal praiano em 1931. 28 de outubro de 1933, p. 43. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de maio de 2014

"Afrodite 1933"

.
"Esta sereia montada no seu cavalo marinho aqui está em Copacabana. Inaugurou a estação de banhos (...)". Ilustração sem assinatura. 28 de outubro de 1933, p. 41. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de maio de 2014

"A Praia mulher"

.
"Altaneira, elegante, graciosa, de corpo escultural, ela desafia o oceano alegre no seu traje provocador. É Copacabana mulher". A praia de banhos teve um papel fundamental no processo histórico de afirmação da presença feminina na vida urbana. Leia mais no Capítulo 82. Ilustração sem assinatura. 28 de outubro de 1933, p. 40. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de maio de 2014

"Ipanema tão linda e abandonada..."

.
"Um lamentável aspecto da rua Nascimento e Silva". Além da visível ausência de arborização, os moradores de Ipanema reclamavam do acúmulo de areia nas vias públicas. 7 de outubro de 1933, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de maio de 2014

"Ipanema tão linda e abandonada..."

.
"A belíssima praça Souza Ferreira, para a qual os moradores de Ipanema pedem um coreto". Souza Ferreira era o antigo nome da praça Nossa Senhora da Paz. Segundo os editores de Beira-Mar, a praça se ressentia "da falta de um coreto, privando-se, assim, os moradores de ouvir boa música em retretas de quintas e domingos...". Entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras do XX, as bandas de música constituíram um poderoso auxiliar na difusão dos divertimentos ao ar livre. 7 de outubro de 1933, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de maio de 2014

"Perguntas indiscretas"

.
"Dez, quinze, vinte, vinte e cinco, trinta. São cinco idades da mulher que se encontram aí, neste grupo, no Posto II. Qual é a de quinze anos, qual é a de vinte? indaga um leitor curioso. Psiu! Nada de perguntas indiscretas". O novo costume da exposição dos corpos contribuía para colocar em evidência aspectos reveladores da idade das pessoas, num mundo marcado pela crescente valorização da juventude e da aparência jovem. 30 de setembro de 1933, capa do suplemento. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de maio de 2014

"D’aqui..."

.
"As três gentis senhorinhas faziam o footing, em maillot, na praia banhada por um fraco sol de setembro. Um cavalheiro, passando ao lado, voltou-se admirativamente e a expressão do seu olhar parece dizer: “São do outro mundo!”". 30 de setembro de 1933, capa do suplemento. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de maio de 2014

"Um minuto, faz favor?"

.
"Grupo de banhistas, no Posto II, posando um momento para a nossa objetiva". Os banhistas do sexo masculino haviam conquistado na prática o direito de andar sem camisa sobre as areias das praias cariocas, como em breve reconheceria o chefe de polícia. Leia mais no Capítulo 81. 23 de setembro de 1933, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de maio de 2014

“Do mirante do Beira-Mar”

.
“Deslumbrante aspecto da praia de Copacabana, à hora magnífica do banho matinal”. 23 de setembro de 1933, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).