Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

"Paquetá"

.
"O coqueiral que empresta um encanto irresistível à maravilhosa paisagem da ilha de Paquetá". A ilha de José Bonifácio, Joaquim Manoel de Macedo, Vivaldo Coaraçy e Humberto de Campos foi por excelência a praia pitoresca do Rio de Janeiro. Leia mais no Capítulo 63. 26 de outubro de 1935, p. 35. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

"Camisaria Progresso"

.
"A Camisaria Progresso possui não só a coleção completa de diversos fabricantes, como criou, também, tipos de maillot de arrojado encantamento". Como se vê, os decotes aumentavam tanto, que não demorariam a separar os maiôs em duas peças. 26 de outubro de 1935, p. 29. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

"Estudos fotográficos"

.
A melhoria da qualidade das técnicas de impressão gráfica e de reprodução fotográfica se colocou a serviço de um desejo crescente que tomava já grande parte da comunidade humana: aparecer. 26 de outubro de 1935, p. 28. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

"O Serviço de Salvamento nas praias cariocas"

.
"Um dos aparelhos para socorro de afogados, do Posto de Assistência de Copacabana, cujo diretor, dr. Nelson Silva, se vê à direita". Na gestão de Pedro Ernesto, a Prefeitura Municipal voltou a investir na modernização do serviço de socorro aos banhistas, tendo em vista o crescimento da freqüentação praiana e a atração de turistas estrangeiros. 26 de outubro de 1935, p. 25. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

"Maillot"

.
Antes do advento da roupa de banho feminina de duas peças, os "maillots" de peça única passaram pela fase dos decotes. 26 de outubro de 1935, p. 22. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

"Artigos de praia"

.
A massificação das areias ampliava o mercado de produtos para praias de banho. 26 de outubro de 1935, p. 19. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

"Footing"

.
À "aristocracia" de Copacabana desgostava a presença de descendentes de escravos na paisagem refinada do footing. Leia mais no Capítulo 80. 26 de outubro de 1935, p. 13. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

"Footing"

.
O footing no bairro elegante ilustra com perfeição a teoria do ócio conspícuo, de Veblen. Que sentido faria o luxo se não pudesse ser exibido? 26 de outubro de 1935, p. 13. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

"Footing"

.
Eram freqüentes grupos de moças passeando na rua de braços dados. A ocupação dos espaços urbanos pelas mulheres era um processo em curso. 26 de outubro de 1935, p. 13. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).