Théo-Filho era um dos escritores mais lidos no Brasil nos anos 20. Seus livros e crônicas, descrevendo a boemia parisiense e os vícios da elite brasileira, escandalizavam os moralistas. Consagrado muito cedo, o romancista-jornalista se voltou para o tema da praia no Rio de Janeiro. Entre 1925 e 1940, à frente do semanário Beira-Mar, Théo-Filho foi o intelectual que mais escreveu sobre assuntos balneários. Fez a apologia das banhistas, do bronzeamento, da exigüidade dos maiôs, do verão carioca, do turismo, dos esportes, do futebol na areia, dos clubes praianos e dos postos de salvamento de Copacabana, na época em que os banhos de sol se introduziam no repertório dos divertimentos ao ar livre. Théo-Filho produziu sua contribuição à praia de banhos brasileira durante uma vasta inflexão na história dos costumes, quando mudavam os padrões sociais de apreciação da nudez dos corpos, da pele morena e do calor tropical.


sexta-feira, 30 de setembro de 2016

"Tijuca Tennis Club"

.
"Lygia Cordovil, Clara Helena Pádua Soares, Neuza Cordovil e Laís Pereira Bonifácio sagraram-se, assim, na noite de 19 de janeiro de 1936, as novas recordistas cariocas para a prova de 4x100, moças, nado livre". 8 de fevereiro de 1936, p. 10. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 27 de setembro de 2016

"Casa Alemã"

.
Durante toda a década de 30, a Casa Alemã anunciou suas ofertas de "maillots" em Beira-Mar. Por essa época, as piscinas ganhavam importância como alternativa às praias. 8 de fevereiro de 1936, p. 7. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

"Beira-Mar em Icaraí"

.
"Inauguração da barraca do “Atlântico Club”, em Icaraí". Niterói tentava reviver a experiência dos clubes praianos de Copacabana. A rede de lojas "O Camizeiro" era anunciante do jornal praiano. 8 de fevereiro de 1936, p. 5. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 20 de setembro de 2016

"A vitória de Momo"

.
Fotos de um banho de mar à fantasia realizado no primeiro domingo de fevereiro de 1936, no Posto 6, com apoio do jornal Beira-Mar, da Rádio Ipanema e da Diretoria de Turismo da Prefeitura. No alto, à esquerda, a comissão julgadora (do concurso de fantasias), de que faziam parte Herbert Moses, presidente da ABI, Annita Correia, redatora de Beira-Mar, e Lourival Fontes, presidente do Departamento de Turismo. Em sentido horário: o bloco "K. Tuk em Roma"; no tablado, "havaianinhas e diversas crianças fantasiadas"; uma foto sem identificação; foto tirada do Cassino Atlântico. Ao centro, Vilma Castro, com sua fantasia de peixe, vencedora do 1º prêmio. 8 de fevereiro de 1936, capa. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

"Manhã de estio"

.
Nas praias cariocas apareciam com freqüência câmaras de pneus usadas como bóias. 1º de fevereiro de 1936, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 13 de setembro de 2016

"Manhã de estio"

.
O novo estilo de vida carioca praiano-esportivo levava a rapaziada a se preocupar com o desenvolvimento dos músculos. 1º de fevereiro de 1936, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

"Manhã de estio"

.
"É um prazer dos olhos a contemplação dessas lindas loiras e morenas que enchem de encanto e de sorrisos gentis a Copacabana dos dias de hoje!" 1º de fevereiro de 1936, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

terça-feira, 6 de setembro de 2016

"Manhã de estio"

.
"As praias, na estação estival, são o índice da vida carioca, da vida dos cariocas que não vão para as serras, para as estâncias de repouso". A banhista olhava talvez um avião que se aproximava da praia. 1º de fevereiro de 1936, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

"Manhã de estio"

.
"Praias cheias de vida, Copacabana, a mais linda praia do mundo!" 1º de fevereiro de 1936, p. 12. (Acervo Fundação Biblioteca Nacional).